5 Comments

  1. 5

    António Campos

    Para o António B.M.

    Em primeiro lugar um merecido abraço pela passagem deste dia. De uma vida que espero tenha sido de grandes alegrias e que continue a sê-lo pelos anos adiante. Não tenho o prazer de te conhecer pessoalmente mas estou certo que surgirá a oportunidade. Porque aquele que teve a ideia e a coragem de criar e manter o Delagoa Bay, que a par dos sites similares tem funcionado como ponto de encontro de todos os moçambicanos, para além do nosso apreço e consideração, merece também um verdadeiro abraço pessoal.
    Faço por isso votos para que na comemoração deste dia recebas a lembrança justa dos amigos e que te empenhes pela vida fora aproveitando as oportunidades que forem surgindo, guiando-te sempre pela filosofia cantada por Ned Miller em “Do What You Do Do Well”

    Um abraço
    António Campos
    (PQ 19 DBC)

    Reply
  2. 4

    António Campos

    He wena Romão

    Whamba malembe mangani? Já deves ter uns poucos e espero que continues a somar manyingi. Alguém tem de ficar a representar o nosso Alto-Maé e tudo aquilo que sempre significou para todos nós.
    Faço votos para que tenhas um dia muito feliz na companhia da família e que os velhos amigos se lembrem de ti são os meus sinceros votos.
    Há já algum tempo que não apareces nos almoços da Rennie’s onde sempre apreciámos a presença de todos por rever neles um pouco da nossa Xilunguíne.
    Hi mahaka muni Romão?

    Um grande abraço

    A. Campos

    Reply
  3. 3

    Wanda Serra

    Mto vos agradeco

    Parabens a todos os aniversariantes de janeiro

    Vos desejando tudo do melhor!!!

    Wanda Serra

    Reply
  4. 2

    Carlos Hidalgo Pinto

    Parabéns ao aniversariante Marcelo Joaquim Azevedo, colega de escola e que se tornou num grande sensei de karaté. Dedicou muito tempo e ainda se dedica, a treinar karatecas de nível europeu e mundial. Um grande transmontano e também moçambicano, visto ter estabelecido uma topofilia muito especial, aquando dos tempos da sua juventude nas terras moçambicanas banhadas pelo Índico.
    Um abraço amigo.
    Carlos Pinto

    Reply
  5. 1

    António Campos

    Desembarquei em D. Ana em 24 de Julho de 1956. De sandálias, camisa de manga curta com a fralda de fora e calções de caki com a fisga no bolso. A travessia do majestoso Zambeze entre Sena e D. Ana, ponto alto de uma viagem nocturna entre a Beira e o mítico rio, só por si capaz de dar asas ao imaginário dum miúdo de 9 anos à descoberta do mundo, deram-me as boas vindas à linha de Tete. O meu destino era Moatize ainda a 254 kms de distância onde o meu pai fora colocado e eu iria frequentar a 4ª classe. Novas terras, paisagens e colegas de escola, faziam crescer em mim a curiosidade a cada hora de viagem na automotora Michelin silenciosa e de um branco imaculado.
    Quis o destino que tivesse à minha espera um outro miúdo chamado Carlos Gaspar a quem daqui envio os meus mais efusivos cumprimentos pela passagem deste dia memorável. Num ano em que comemoramos em Setembro o 60º aniversário como amigos e colegas de estudos. Faço portanto votos para que com o Jorge, o Joaquim, o Armando e muitos daqueles que connosco frequentaram aquela pequena escola de uma só sala, rodeada de mato e à sombra dum imponente imbondeiro, se reúnam para comemorar esta data com o significado que as três gerações que nos sucederam bem merecem. Fica aqui o meu repto.
    Um abraço
    António Campos

    Reply

Se não tiver Facebook comente aqui!

© BigSlam 2016 - Todos os direitos reservados.