3 Comments

  1. 2

    Carlos Hidalgo Pinto

    Comemorou-se na Biblioteca Nacional,o centenário do grande poeta José Blanc de Portugal, homem da estirpe de Jorge de Sena, com quem conviveu em Portugal e no Brasil, onde foi Adido Cultural junto da Embaixada de Portuguesa, em Brasília. Assumiu também a presidência do Instituto de Cultura Portuguesa, tendo igualmente dirigido os centros do Serviço de Meteorologia Nacional , em Lisboal na ilha do Sal, Santa Maria, Ponta Delgada, Luanda e em Moçambique. Era formado em Ciências Geológicas, cursou Língua e Literatura Árabe e representou o país em reuniões técnicas da Organização Mundia da Aviação Civil, tendo trabalhado para a Pan AM. Era um português heterodoxo, mas que está algo esquecido, como é costume. Publicou e traduziu grandes obras literárias tendo integrado o Projecto Vercial. O futuro de Portugal passa, também pela Língua Portuguesa, pela Cultura Portuguesa, pelas Artes, pela Música. São elementos culturais essenciais e que devem complementar as relações económicas entre os países da lusofonia.

    Reply
    1. 2.1

      Rui Baptista

      As pessoas, sejam elas simples anónimos ou da estirpe de José Blanc de Portugal, por si evocado, perduram, os primeiros, efemeramente na memória dos entes queridos e os outros, “aqueles que por obras valorosas se vão da lei da morte libertando”, revivem na memória indelével ” de um povo que sabe honrar os seus antepassados. Infelizmente, nem sempre!.

      Reply
  2. 1

    Rui Baptista

    Meu bom Amigo João Santos Costa: Não é em vão que o comunismo é apelidado de social-fascismo. Mas o certo é que a verdade nem sempre é bem aceite pelos sociais-fascistas.

    Reply

Se não tiver Facebook comente aqui!

© BigSlam 2016 - Todos os direitos reservados.