16 Comentários

  1. 15

    Iris

    Bem Haja João por este maravilhoso texto. Lembro me muito vagamente de Marracuene, mas pela descrição que li fico com imensa pena de não a ter conhecido melhor. Penso que havia um hospital bem conhecido S. José de … ? Penso que foi lá que nasci. Obrigada por esta viagem no tempo.

    Responder
  2. 14

    Augusto Martins

    Amigo João,
    Acabei de ler o maravilhoso artigo, que penhoradamente agradeço.
    Eu vivi diariamente em Marracuene desde os 7 até aos 36 anos. E foi de lá que parti para Portugal, em 30/Dez/1976.
    Aí assisti de perto e ao vivo a tudo o que por lá aconteceu. Foi lá que partilhei as primeiras carteiras da escola Roque de Aguiar, e as brincadeiras e tropelias da adolescência feliz. Foi de lá que me casei. Foi lá que conheci as centenas de pessoas que por lá passaram e viveram durante todo esse período. Foi lá que ficou e ainda continua a existir, a nossa casa e as várias propriedades onde semeámos, plantámos, cuidámos e deixámos obras feitas que representam o fruto do trabalho dos meus Avós, dos meus Pais e dos nossos descendentes.
    Ainda hoje sou capaz de reconstituir, de memória, a localização das moradas de cada família, os seus nomes e actividades profissionais, assim como, de mencionar e localizar as casas existentes em 1946 e a sequência das que foram sendo construídas posteriormente, até 1975.
    Por tudo isso, julgo que pode avaliar quanto me sensibilizou a leitura deste artigo, mesmo e apesar de uma ou outra, pequena e desculpável incorreção, mencionada nesta página da história daquela vila, onde passei um período inesquecível da minha vida.
    Fico-lhe muito agradecido por tudo isso, enviando um grande abraço, com os meus votos de muita saúde.

    Responder
  3. 13

    Paula

    “O gente da minha terra”
    Marracuene, macaneta (no início não gostava de ir para lá porque não tinha ninguém a não ser meia dúzia de casinhas de praia… e hoje quem te vê zona privilegiada).
    Vila Luísa onde havia o monumento do Kungunhana (não sei se é assim k se escreve) e onde nos picnics de família (que passávamos a vida a encurtar formigas) se fazia “excursões” para apanhar e comer o fruto que dá a castanha de caju (fresco e doce sabor exótico e áspero no nas fibras no fim).
    Saudades na verdade!!! Mas um privilégio estas memórias que nada nem ninguém as leva ou tira e fazem de nós o que hoje somos!!! Abençoados foram todos os nossos antepassados no que construíram e contribuíram com a sua vida e existência para tanta grandeza!!!!
    Abencoados todos nós que o vivenciamos.
    Um abraço a todos

    Responder
  4. 12

    João santos costa

    Quero vos agradecer o tempo que dispensaram a ler e comentar este meu artigo sobre a vila de “Marracuene e a praia da Macaneta.”
    Pela amizade e consideração que tenho por todos, estão convidados a colaborar nas futuras publicações do BigSlam.
    Bem hajam pela participação.
    JSC

    Responder
  5. 11

    Joca Calheiros

    Celeste, eu também vivi em Vila Luíza, hoje era dia de irmos ao monumento em memória da batalha de Marracuene,vivia na estação velha, aqui referida, já instinta,a linha passou para junto do rio, bjinho

    Responder
  6. 10

    Angelina

    Amigo João, adorei o texto e as fotos!
    Depois de ler fica o desejo de conhecer tão belas paisagens e paia, tenho uma vaga lembrança pois vim para Portugal em Agosto de 1974 apenas com 13 anos, regressei depois da independência mas só lá estive um ano e já nada era como antigamente.
    Beijinho

    Responder
  7. 9

    Wanda Serra

    Hi bom amigo João.
    Como spre estas de parabens pelos fantasticos textos ,artigos que me deixam deslumbrada e me fazem reviver todo esse passasdo maravilhoso.
    Mto obgda João
    Beijinhos

    Responder
  8. 8

    antoniojosecuamba11@gmail.com

    Bom dia facebookeiros amigos de Marracuene! Sou natural da Maxixe vivendo em Maputo desde Anos 60 do Século 19? Penso que Marracuene tem qualquer magia; quem a conhece não a larga mais. Minha humilde opinião. Aquele Abraço fraterno e ótima Praia de Macaneta 🙏🏼☕

    Responder
  9. 7

    Celeste

    Tantas saudades que tenho de Marracuene, onde vivi a partir dos meus 8 anos de idade. O meu falecido pai, conhecido por sr. Costa, era o encarregado da mata enorme que existia em Marracuene. O lindo jardim á beira rio, era da responsabilidade dele. Obrigada, obrigada pela sua partilha

    Responder
  10. 6

    José Alexandre Bártolo Wager Russell

    Marracuene um sítio onde eu e os meus pais íamos algumas vezes (especialmente aos fins de semana ), para naquela encosta ajardinada, com uma vista soberba sobre o rio, fazermos um piquenique, e aí almoçarmos. Lembro-me bem que se levava uma mala em verga, que se abria e ficava uma mesa, Dentro da mala, havia os pratos e os talheres. Rapidamente estava montada para se comer. Outras vezes, não era preciso, bastava uma manta no chão. Era só servirmo-nos da panela, e poisar os pratos e talheres na manta. O pior eram as formigas. Tinham a mania de se fazerem convidadas. Mas eram sacudidas a tempo. Bons tempos, e boas recordações caro João.

    Responder
  11. 5

    josé carlos alves da silva

    Amigo João, fiz algumas viagens como as suas, por esses mesmos sítios e paragens. Resumo numa palavra…. saudades.

    Responder
  12. 4

    jose pedro cardoso

    Boa João. Que belas recordações, das pessoas, o Spit (meu primo direito) e do Zeca Soqueiro,e das maravilhas que existiam e que lamentávelmente não as conseguem manter. Tem outras novas, também bonitas, mas……as antigas eram espectaculares.
    Parabéns
    Um abraço
    ZP

    Responder
  13. 3

    Luis Batalau

    CAROS AMIGOS
    SIM ESTA NÃO É A VILA DE MARRACUENE QUE EU CONHECI, ATÉ 1974, PONTO DE PASSAGEM PARA INHARRIME E MORRUMBENE. MACANETA TAMBÉM NADA DO QUE É HOJE E LI NO BIG SLAM.pt.
    OBRIGADO PELAS INFORMAÇÕES

    Responder
  14. 2

    João Carlos Guerra Mendes de Almeida

    João, continuas a fazer com que continuemos a sentir tantas saudades daquela que era a nossa terra. Obrigado por isso e um grande abraço. Ambanine e Kanimambo.

    Responder
  15. 1

    Manuel Martins Terra

    Caro amigo João, belos tempos aqui sublinhados e que nos recordam Marracuene e a Macaneta, de outros tempos. Hoje Marracuene, sofreu grandes alterações sobretudo na área de hotelaria, devido à deslocação da FACIM, para os seus terrenos. Também a Macaneta, ficou a ganhar com a passagem da autoestrada, que passou a ligar Maputo a Marracuene num troço de cerca de 25 Km, e que se elevava a partir do Bairro Triunfo. Um dos pilares está situado no terreno que o meu saudoso pai tinha comprado, e que se localizava na reta que ligava o Bairro das Mahotas ao Bairro dos Pescadores. Enfim, a vida tem destas coisas. Um abração, do amigo Manel.

    Responder
    1. 1.1

      Manel

      Ana por aquilo que li é parte do que estás a escrever,as tuas memórias beijinhos

      Responder

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2024 - Todos os direitos reservados.

error: O conteúdo está protegido.