8 Comentários

  1. 8

    Augusto Rodrigues

    Excelente trabalho. Parabéns ao autor.

    Responder
  2. 7

    José Miranda

    Quem como eu,outros como eu ,todos temos claro memórias fantásticas dessa colonia,e desse grande país
    Tenho um descendente que nasceu na Avda Pinheiro Chagas,na clínica Ema Machado da Cruz
    por cima do restaurante Ponto final,

    Responder
  3. 6

    Francisco Duque Martinho

    Óptima reportagem. Parabéns ao autor.

    Responder
  4. 5

    f.ramos34@hotmail.com

    Saudades e mais saudades. Dá gosto vêr a Casa Amarela que se mantem original e onde funcionou a 1ª. Esquadra da P. S. P.. Recordo a demolição do Building e os carris na 24 de Julho.

    Responder
  5. 4

    ABM

    Maravilha, parabéns, enchi o olho.
    ABM

    Responder
  6. 3

    Augusto Martins

    MUITO OBRIGADO ao MANUEL TERRA e ao BIGSLAM.
    Ao primeiro, pelo minucioso trabalho apresentado e que todos temos o dever de aprofundar. Ao segundo por se ter tornado um imprescindível veículo de culto respeitoso por aquela terra em que nasci, vivi e onde estão enterradas duas gerações dos meus antepassados.
    Este artigo é uma página da história real da cidade, que os meus olhos ainda conseguem testemunhar, como o “Capitania Building”, a muralha sul da fortaleza e alguns pequenos apontamentos da Praça 7 de Março, onde ainda se faziam e eu assiti, nos anos 40, a Feiras Populares com “barracas de petiscos regionais e vários entretenimentos.
    Já anteriormente fiz algumas pesquisas sobre a minha velha Lourenço Marques (quer na biblioteca da Sociedade de Geografia, quer em alguns dos vários livros antigos que tenho), mas tive o prazer de vir encontrar, neste artigo, alguns pormenores importantes, que desconhecia.
    Com a necessária indicação da autoria e origem desta informação, tomo a liberdade de fazer uma impressão, para acrescentar à minha coleção privada de lembranças sobre a nossa cidade, porque considero ser este um documento necessário para que as novas gerações possam ter uma noção da realidade que produziu a existência daquela cidade.
    Um grande abraço de profundo agradecimento a todos os intervenientes.

    Responder
  7. 2

    L.andre32@gmail.com

    Recordar é viver, amigos. Vamos matando saudades que jamais esquecerão. Infelizmente estragaram tudo e nunca mais recordarão. Lamento muito.

    Responder
  8. 1

    Isabel

    O café Nicola, passou mais tarde a ser o BCCI – Banco de Crédito Comercial e Industrial, onde trabalhei!
    Muitas vezes cruzei esta Praça 7 de Março!
    Saudades!

    Responder

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2021 - Todos os direitos reservados.

error: Content is protected !!