18 Comentários

  1. 10

    Fernando Borges da Costa

    Excelente trabalho para a posteridade… nasci em Tete, vivi no Zóbuè, Vila Pery no princípio dos anos 70 e em Lourenço Marques… Saudades…

    Responder
  2. 9

    Rui Shirley de Oliveira

    Manuel da Silva,eu nasci em Macequece.

    Responder
  3. 8

    Rui Shirley de Oliveira

    Trabalhei alguns anos na Brigada,onde també trabalhava o Sousa Otto

    Responder
  4. 7

    Rui Shirley de Oliveira

    Grande Manuel Silva, a farme dos Lobatos de Faria,era pegada com a dos meu pai.

    Responder
  5. 6

    Manuel Martins Terra

    Caro amigo Manuel Silva, troque o zero á esquerda e coloque-o à direita, sempre mais valioso e merecedor. Um abraço amigo, e sempre ao seu dispor.

    Responder
  6. 5

    Ana Peres

    O velho Magalhães era meu tio.Tinha uma serração perto de Vila Pery. Era Pai do Xico e John Magalhães. Estou a falar do mesmo Velho Magalhães?

    Responder
    1. 5.1

      Manuel da Silva

      Ana Peres
      está a falar correctamente da família – Magalhães – uma família ilustre de Vila Pery.
      Conheci-os bem, o pai Magalhães de farda caqui e careca, do Chico, carateca, homem elegante, de pêra, óculos e chapéu com banda de leopardo à volta. Do João ou John não me lembro tão bem!
      Parabéns Ana!

      Responder
    2. 5.2

      Rui Shirley de Oliveira

      A serração era nem Gondola,onde trabalhou o pai do Romano Bagnari.

      Responder
  7. 4

    Fernando Carvalho-Évora

    Muito Bonito. Gostei muito de ver e ouvir. Bons tempos. Estive na Escola Agrícola desde 1967. ÉVORA era a minha alcunha pois fiz o primeiro ano na Escola de Évora. Abração

    Responder
    1. 4.1

      Manuel da Silva

      Então foi colega do meu irmão – José da Silva – infelizmente já não está entre nós. Paz à sua alma!

      Responder
  8. 3

    Stelio Folgosa

    Parabens por esta publicacao bem conseguida.
    Inflizmente o meu amigo Joao Magalhaes jah nao estah entre nohs. Conheci-o em Johannesburg e dele aprendi muito sobre Vila Pery, onde o pai dele tinha uma plantacao de arvores e exportava madeira, pelo menos para a Africa do Sul. Conheci o pai dele em Tete numa visita ao Songo em 1972.
    Certamente que o Joao gostaria de ver esta publicacao depois dos muitos anos que viveu no Canada.

    Responder
    1. 3.1

      Manuel da Silva

      Estimado Stelio, o João Magalhães pertencia a uma família pioneira de Chimoio. Muitos anos de trabalho para deixar tudo incólume. Valha-nos Deus! Paz à sua alma! Leia aqui a 2ª. parte p.f. https://bigslam.pt/historia/historia-de-vila-pery-chimoio-por-manuel-da-silva-2a-parte/

      Responder
  9. 2

    Manuel Martins Terra

    Excelente trabalho desenvolvido por Manuel da Silva, que nos relata factos históricos da região, a que associa lugares carregados de miticismo e mistérios com muitas histórias envolventes, tão caraterísticas do continente africano. Ficamos também a conhecer a atividade, comercial, social, cultural e desportiva de Vila Pery. Como eram dignas das melhores telas, aquelas artérias tonalizadas de azul que brotava dos jacarandás. Cá ficamos a aguardar, a publicação da segunda parte. Um abraço.

    Responder
    1. 2.1

      Manuel da Silva

      Caríssimo Manuel M. Terra,
      Obrigado pelo elogio. Todavia, eu comparativamente ao Manuel sou um zero à esquerda.
      Um abraço e sempre em contacto …

      Responder
    2. 2.2

      Antonio Manuel de Sousa Otto

      Tenho Vila Pery sempre na memoria viva. Dos meus 5 filhos os 2 mais velhos, nascidos em 1960 e 61 na Beira, 2 do meio em Vila Pery 1962 e 65 e em Lç Mqs o mais novo em 1972. Vivemos alguns anos em Vila Pery quando da vivencia da Brigada do Revué entre 1958 e 1970..
      Vivi alguns meses na “farm” do Tembe de José Augusto Rodrigues, vizinho de outro farmeiro, João Atayde de Sá Melo do Amaral. Sou do tempo de engª Manuel Magalhães, da SOALP do Pereira de Almeida da SHER. Do velho Magalhães empreteiro, Ressucitei o Aero clube onde tirei o brevet e dei instrução. Comigo ou eu com ele , dr Oliveira Martins, veterinário. Noutra altura conto mais. Grande abraço. Ata muona.

      Responder
      1. 2.2.1

        Manuel da Silva

        Estimado Sr. Sousa Otto,
        Fui aluno da sua esposa no Colégio. O avô da minha esposa era o Sr. Lobato de Faria que tinha uma farm no Tembe. O tio da minha mulher Carlos Lobato de Faria trabalhou na Brigada. Lembro-me de duas das meninas.
        Fui colega das Craveiro Lopes e do Manuel Pedro de Magalhães, dos filhos do juiz Henriques etc
        O mundo é pequeno!
        Tá Mona! (Dawe)

        Responder
  10. 1

    ABM

    Manuel

    Muito bom. Mas falta um episódio seminal inicial, que aconteceu entre portugueses e britânicos da BSAC perto de Macequece, em que eles entraram por território de Moçambique adentro e levaram e o inverso e levaram. Ainda hoje (penso) que existem as ruínas do antigo forte de Macequece, alusivas a este episódio.

    ABM

    Responder
    1. 1.1

      Manuel da Silva

      As ruínas do antigo forte de Macequece ainda existiam pelo menos até 1975. Agora acredite por favor: a placa de bronze que assinalava os confrontos, foi arrancada e transportada para Vila Pery. Encontrei-a em 1994 na cozinha da casa do avó da minha mulher que tinha sido transformada em Hospital Militar … qual o destino que tomou? Não sei … Um abraço

      Responder

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2021 - Todos os direitos reservados.

error: Content is protected !!