9 Comentários

  1. 7

    ruiaosorio@gmail.com

    Como haveria de esquecer este famoso grupo que tanto animou a nossa adolescência?! Oh tempo volta para trás. Saudades.

    Responder
  2. 6

    José Carlos de Matos Viegas

    Artur Garrido fez parte da minha infância a ouvi-lo cantar, nos Velho Colonos acompanhado pelo conjunto de César Dinis etc.
    Na minha modesta opinião, a melhor voz de sempre entre os melhores em Moçambique.
    Merece ser recordado com todo o direito como o “Mr. Strangers in The Night”.

    Responder
  3. 5

    Augusto Martins

    Após a leitura que acabei de fazer desta maravilhosa e pormenorizada descrição de uma época e local em que também vivi, consegui recuar no tempo e vivi, de novo, as situações, as pessoas, os odores, as caras e o calor humano e fraterno da minha (nossa) inesquecível adolescência.
    Que bom!
    Só tenho pena de não conseguir saber da situação actual do GARRIDO. Pela minha memória, julgo que ele continua entre nós e, por isso, quero dar-lhe os parabéns, desejando que tenha muita saúde e que nos dê a felicidade de podermos continuar a celebrar os seus aniversários, ainda durante muito anos.
    A sua presença entre nós continuará, enquanto houver alguém a cuja memória ocorra uma das situações em que ele tenha tido intervenção.
    Um grande abraço.

    Responder
  4. 4

    MARIA MANUELA ANTUNES GALVÃO DE ALMEIDA

    Hoje é dia de Festa no Céu para Artur Garrido que com outros Artistas de Moçambique foram estrelas brilhantes!Parabéns e Kanimambo Artur Garrido!

    Responder
  5. 3

    Cândido Ramiro Filomeno do Carmo Azevedo

    Relembrar Garrido, Zambi, Renato Silva, e todas estas bandas é relembrar a minha juventude, é relembrar a OBRIGATORIEDADE imposta pelos meus pais de ACOMPANHAR as minhas 4 irmãs aos locais de dança públicos por elas escolhidas e onde estas bandas todas tocavam, IMPEDINDO assim de eu ir a uma série de “parties de garagem” local muito mais pequeno, com muito pouca luz e muito mais romântico e reservado, e onde previamente combinado as “bifas” em férias na LM ou a namorada do momento aguardavam por nós, jovens dosdebutantes dos finais de 60 e onde se ouvia do “vinil” um sem número de canções românticas, umas atrás de outras, em séries bem montadas pelo DJ de serviço como o “Only You”, “Love me Tender”, “Je t´aime mois non plus”, “Eu te darei o céu”, Ciao Amor Ciao,quais brasas para atear as “setas em chama do Cupido”, após uns bons copos do “cup” com mais álcool que fruta. Havia que reinar o mais possível, pois pouco depois viria a ida para o Norte, zona de dias roxos e noites de silêncio escuro.

    Responder
    1. 3.1

      Maria Irene Paiva

      Bem Interessante o que nos conta… 👍🏼 Conheço o sentimento, Sou dessa época, também! Saudações.

      Responder
  6. 2

    josé carlos alves da silva

    Lembro de ouvirem falar deste Artur Garrido, do conjunto Renato Silva, do Oliveira Muge, do Gabriel Chiau, e muitos mais. Meus Pais falavam muito destes fenómenos. Esteja onde estiver, meus Parabéns, Paz à sua Alma, que Deus o proteja.

    Responder
  7. 1

    BigSlam

    Recordando Artur Garrido o “Mr. Stangers in The Night”.

    Responder
    1. 1.1

      Olivia Garrido

      Obrigada Samuel por este artigo, cheio de boas e saudosas recordações do meu querido pai .

      Responder

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2021 - Todos os direitos reservados.

error: Content is protected !!