6 Comentários

  1. 6

    António Soeiro

    Estava no Porto em casa de um amigo e lembro-me muito bem de ter visto na TV o avão a chocar com a 2ª Torre e a seguir esta a desmoronar-se. Incrível!!!

    Responder
  2. 5

    Isabella

    Em Procida, a Ilha que foi um dos cenários de “O Carteiro de Pablo Neruda” (a quem outro 11 de Setembro marcou, o de 1973) e não havia sequer rádio na casa onde acordei, Só ao fim do dia, ao regressar a Nápoles, vi incrédula na tv o horror que marcou este dia de 2001 em que “A Democracia foi atacada”.

    Responder
  3. 4

    Miguel Barros Lima

    Oi Samuel,

    Eu estava em Tarrytown, que fica a uns 40/45 km de Nova Yorque, no escritório a trabalhar quando a Michelle me telefonou a avisar que um avião, pequeno, tinha chocado contra uma das torres.
    Como eu sou piloto privado e a descida do rio Hudson a partir do aeroporto de White Plains ou de Danbury onde eu voava normalmente, era digamos, o passeio da praxe para qualquer amigo que nos visitasse, com a descida pelo rio, South bound New Jersey side, com passagem pela estação de radar, a ponte George Washington, mais abaixo a estátua da liberdade e depois com um 180 graus já perto da ponte Verasano, com um retorno rio acima, north bound New Yorque side, e aí os primeiros prédios eram exatamente as 2 torres no principio da Wall Street … tão altas que eu a 900/1000 pés de altura, estava ainda mais baixo que as torres … e passava de facto, a 150 metros delas … um dia, numa malandrice … acredita, a uns 50 metros delas. Depois o voo continuava, rio acima, passando o porta aviões Enterprise, a entrada do tunel Holland, Manhattan e o Parque Central ali mesmo à tua direita, todos os telhados dos arranha céus de Nova Yorque, etc, até chegar de novo a Tarrytown e à ponte do Tappen Zee e depois regresso ao aeroporto de origem.
    Com esta experiência, ainda pensei que teria sido de facto um avião privado, que com mau tempo ou vento, tivesse sido mais … inconsciente do que eu, e que tivesse chocado contra as torres.
    Como o meu escritório tinha uma grande cafeteria com televisões, fui logo para lá para ver o que se passava. Já lá estavam umas 30 pessoas … tudo em estado de choque, mas sem saberem muito bem o que se passava. Eu incluído. Mas naquele momento, era mais a cabeça do piloto que refletia e eu tentava imaginar o que teria acontecido e porque razão um piloto, normal, sem ter um qualquer problema de saúde, num dia de sol e boa visibilidade, teria chocado e como contra as torres? Por outro lado, a destruição da torre, parecia-me muito maior do que aquilo que um pequeno avião poderia fazer.
    Ia ouvindo as notícias, confusas como te deves lembrar, especulativas, depois lá começaram a falar de um avião de linha, e nisto, garanto-te, eu vejo um outro avião, pequeno é claro, à distância que a camara que filmava nesse momento nos mostrava, passar entre o que parecia ser … entre as torres … e claro chocar contra a 2ª torre.
    Na cafeteria já éramos agora umas 100 pessoas, eu tinha ao meu lado uns 12 ou 13 dos meus colegas, e nenhum deles viu o 2º avião. Quando eu disse quase a gritar que tinha sido um 2º avião a chocar, ninguém acreditou, todos eles cada vez mais em choque …
    O resto já todos nós sabemos. Uma grande tristeza e uma perca enorme a todos os níveis.

    O espaço aéreo foi claro fechado e durante vários meses foi impossível voltar a descer o rio Hudson. Depois, com o pragmatismo muito próprio dos Americanos, o espaço lá foi aberto de novo, a princípio com limitações, 1 avião south bound e um avião north bound, depois 3, etc., até ao regresso à … normalidade! Mas Manhattan já não era a mesma, a descida estava diferente, faltava algo no horizonte e apenas o Empire State Building parecia ainda sobressair no espaço aéreo da cidade.

    Um abraço a todos vós e se … um dia … não fiquem a ver … não obedeçam a ordem nenhuma para ficarem à espera de ordens …. desçam, saíam, fugam, protejam-se e sigam o vosso primeiro instinto … poderiam ter morrido muito menos gente se isto tivesse sido feito.

    Miguel Barros Lima

    Responder
  4. 3

    Joao Felizardo

    Lembro muito bem , assim como o 7 de setembro de mocambique ; mas qto ao 9/11 estava no meu escritorio na mercedes benz nos escritorios centrais da companhia situ em zwarkop nos arredores de pretoria -RSA.

    Responder
  5. 2

    Zulfi

    Uns factos a considerar:
    1) Nesse dia uns 2200 empregados nas torres estavam mal dispostos e não foram ao trabalho.
    2) 4 semanas antes o novo dono dos prédios tinha adquirido um seguro de alto valor para os 2 prédios.
    3) Enron ocupava a cave e o ré do chão. Enron estava envolvido no maior escândalo financeiro na História e tinha que dar acesso a todos os documentos relevantes….
    Os dois aviões entraram em colisão com a parte alta das torres mas entretanto o fogo mais devastador que até derreteu as colunas que suportavam o prédio foi na cave e no rês do chão.
    4) o colapso das torres foi sistemático um a seguir o outro andar de cima para baixo e tudo dentro da área ocupada pelos prédios sem causar nenhum dano no arredor.
    5) as duas torres erram suportadas pelas quatro colunas, uma em cada canto. O impacto teria que ser no meio de um lado para que pudesse causar dano e mesmo com o tanque cheio os aviões causariam o incêndio onde tenha sido dado o impacto mas neste caso o maior incêndio foi na cave e rês do chão e os bombeiros não conseguiam entrar no prédio dado aos gases soltos pelo incêndio causando que tudo se derretesse e ficasse em pó.
    6) ora queira alguém me convencer que os terroristas que não eram pilotos nem tinham treino adequado para isso pudessem acertar em cheio no meio de cada lado do prédio quando nem um piloto profissional conseguiria executar essa destreza a não ser que tenha sido treinado para “dog fights” etc etc.
    Recordem-se daqueles 4 que foram apanhamos logo a seguir das explosões na ponte a celebrarem dos quais ninguém mais disse nada?
    Ha muito para se saber se e que o “brain washing” não tenha já sucedido…e aquele pequeno grupo de poderosos continuará a fazer como quer sem ninguém ter o direito de crítica-los!!!

    Responder
  6. 1

    Luiz Branco

    Mabopane Highway sentido Pretoria North / Garankuwa… Aproximadamente 15h00 hora local…frutos do islamismo. A prova final estará na hora da verdade; de que lado estarão os muçulmanos ditos normais? Com os países do seu acolhimento / nacionalidade ou do lado do Islamismo militante e retrógrado.

    Responder

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2021 - Todos os direitos reservados.

error: Content is protected !!