5 Comentários

  1. 5

    Manuel Martins Terra

    Um grande empreendimento que passa a ser a maior infraestrutura suspensa, no continente africano e que colocará Moçambique, como ponto de referência. Será um fator de progresso e que tornará inevitavelmente a Catembe, como um grande dormitório de Maputo,nos próximos tempos. Também me lembra as cerca de quatro horas de viagem de automóvel, que nos levava por uma velha estrada acidentada de terra batida, até alcançar um paraíso chamado Ponta do Ouro. Hoje o trajeto de 200 Km de asfalto, será certamente um convite excelente para umas férias de sonho naquela praia paradisíaca. A nova ponte irá mudar o paradigma da Catembe, aquela terra de boas praias e apetecível gastronomia, onde muitos de nós tem nas suas recordações, os bons petiscos e pratos do Restaurante Diogo e o afamado serviço da Pousada Marisol. Para a história, ficaram as nossas viagens da travessia da baía, feita nos “gasolineiros” que nos ligavam de LM à outra margem.

    Responder
  2. 4

    Fernando

    Congratulo_me com a obra em si,já o “investimento” CHINES sabem o que significa não é? Quem não sabe ,inteire_se o que aconteceu a outros a quem a ( amabilidade) CHINESA contemplou.

    Responder
  3. 3

    Eduarda Silva

    Continua lá, Zé. Continua lá. Beijinhos.

    Responder
  4. 2

    RUY CRAVO

    Agora vai-se até à Ponta do Ouro em 90 minutos, velocidade normal.
    ir e vir à Ponta do Puro incluindo as 2 portagens, aliás 4 pois é ida e volta, são 520 meticais, cerca de 7 Euros.
    O vão livre é de 680 meros e a altura livre para passagem dos barcos acima da maré cheia é de 60 metros.

    Fui no dia seguinte à inauguração.
    Mas para ir ao Diogo prefiro atravessar nos barquitos Mapapai, são 15 meticais e depois vai-se a pé pela areia da praia, um belo passeio.
    Abraços.

    Ruy Cravo

    Responder
  5. 1

    Braga Borges

    Espero que não tenham deitado abaixo, o Diogo (camarão recheado), na Catembe.

    Responder

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2018 - Todos os direitos reservados.