48 Comentários

  1. 20

    Maria ramos

    Parece que os retornados não vieram todos humildes
    Eu nasci em Lisboa vivi sempre pobre todos trabalhavam na fábrica Aliança
    Fui criada com regras
    Infelizmente aos 18 anos casei com um moçambicano da beira
    Ele pouco se lembra mas refiro me aos pais e irmãos que me deixavam perplexa com as ditas recordações
    Como por exemplo … Lá quem tomava conta do teu marido era o preto ,aliás tínhamos um preto para cada tarefa um lavava e passava os lençóis outro estava na cozinha etc mais barbaridades
    Ao ponto de eu ter uma filha deficiente e a preocupação da avó retornada foi …tens de arranjar um preto para te ajudar ?????? Nada tenho contra ninguém todos temos saudades dos locais que marcam a nossa vida mas fico triste qdo vejo comentários dizendo que somos invejosos ? Todos os retornados foram ajustados os pais do meu marido foram claro que chegaram sem nada mas se lhes deram a mão foi mais fácil
    Humildade é muito bonito e quem veio de Moçambique porque retornou ou nasceu lá é e será sempre igual a mim que nasci em Lisboa não são mais nem menos obg e desculpem mas decerto na infância nunca comeram sopa todos os dias porque não havia dinheiro para comprar muito mais

    Responder
  2. 19

    Luis Pereira

    Nunca li tanta baboseira em tão pouco espaço, por alguns dos perfis que entretanto consultei…e parecem ser esclarecidos ( a não ser que foram falsificados)! Aquilo que a Sra. Carmo Vaz descreveu …o que lhe estava na alma! E bem! Era uma realidade! Longe dela de despoletar um discurso ignóbil e racista como este!
    Eu vivo há 50 anos em Moçambique…e os meus filhos desfrutam disso tudo hoje! Sem pestanejar! Daí eu me recusar ir aturar meia duzia de ressabiados …porque os retornados singraram ….melhor! Porquê? Porque de facto são diferentes….e os comentários assim o provam! Ponto final, parágrafo e trvessão!

    Responder
  3. 18

    Cristina Varela

    Nasci em Moçambique terra Boa e maravilhosa adorei a entrevista e é mesmo assim, quem nasceu e viveu lá sabe como é.

    Responder
  4. 17

    Eugenia Guerreiro

    concordo plenamente! Somos diferentes e por isso é que teem tanta inveja de nós! Ao fim de 40 anos ainda não me sinto integrada , por mais que tente não consigo !
    Vamos continuar a sermos felizes ok ! Abraços

    Responder
    1. 17.1

      Eduardo

      Não nasci lá passei por lá mas há efetivamente algo diferente , natureza , cheiros, maneira de ser e estar enfim muitas diferenças

      Responder
    2. 17.2

      Maria Resende

      Vai para lá. Dasss. Aqui só estorvas

      Responder
    3. 17.3

      António Duarte

      Não se sentem integrados, porque aqui, negro não carrega branco. Aqui não há racismo! Quem não trabuca não manduca, com excepção de determinados parasitas, que pululam por aí. Vocês não obstante terem de abandonar, aquelas terras, chegaram cá e foi-lhes dado prioridade em tudo sobre quem cá estava. E muitos com posições que lá nunca exerceram. Falsos enfermeiros/as e não só.
      Essa coisa do cheiro da terra, não compreendo isso! Quem era especialista nessas coisas, era o inesquecível, PAPA JOÃO ll, se em vez de viverem na Beira, vivessem em Marrupa, não vos cheirava muito bem estar naquela paragens.
      Espero que se integrem!!! Entretanto, se não conseguirem voltem para lá. Estive lá dois meses muito recentemente, com amigos que lá ficaram e sentem-se lá felizes. De qualquer modo é tudo muito problemático…

      Responder
      1. 17.3.1

        António Duarte

        Em tempo: Eu quis dizer Papa João Paulo II e não Papa João II…

        Responder
      2. 17.3.2

        Rui

        Se nao fosse o pessoal de africa vc hj estava a comer merda. Negro é vc com mentalidade de negro da mata.

        Responder
  5. 16

    Stela

    Saudades sou da Beira andei no colégio Pio x S.Benidito e estudei com todas as raças onde é um País que tinha várias raças e dava bem com todos viva Moçambique

    Responder
    1. 16.1

      Maria Resende

      Vai para lá. Dasampara a loja. Vão trabalhar para lá. Fazer aquilo crescer

      Responder
  6. 15

    Marilia Franck Bjurstrom

    Nasci e cresci em Quelimane. Conheci bem os teus pais e irmão. Que linda história , e fizeste-me regressar á minha Zambezia por uns instantes ! Obrigada por estes momentos Yolanda !

    Responder
  7. 14

    António Rosário

    Também vivi na Beira durante 18 anos, Iolanda. Clima fantástico. Tenho imensa saudade dos bailaricos no CRIP e nos Operários Goeses, semana sim, semana não. E do basquete no Clube Ferroviário, especialmente entre equipas femininas (entre elas, a chinesa), futebol no SLB, Sporting, Desportivo, CRIP, Textafrica (em Vila Pery), hoquei em patins – ía a todas, salvo seja…hehehe. Mais uma vez, que saudades !!!

    Responder
  8. 13

    Carlos A M Loff Fonseca

    De Moçambique (1962/77):
    Gostei imensa da Natureza, do mar e tanto peixe, dos mergulhos nos recifes do Bazaruto, das Quirimbas e da Inhaca, dos corais e dos peixes, de Mueda e de Mocimboa da Praia. Foi para mim uma época e 3 filhos nasceram em LM (64/77. Vivemos melhor por lá, sem dúvida.
    Não apreciei a desigualdade social e a falta de oportunidades dos fantásticos naturais (boa gente). Não concordei nem com a famigerada Guerra Colonial nem com os muitos abusos de poderosos e autoridades locais.
    Vi muita miséria e pobreza entre a população … e foi pena tanto racismo associado aos sul-africanos da altura.
    Todavia hoje (2016) os donos da terra ficaram piores desde 75. Nem com a libertação, foi pena! Lamentável … esta nossa África. Uma terra para uns poucos, como sempre …
    Loff Fonseca/BCCI LM

    Responder
  9. 12

    Carlos A M Loff Fonseca

    Quiz dizer hoje 2016 em vez de hoje 1916.

    Responder
  10. 11

    Nunes Matenga

    Eu sou Moçambicano,gostei dos comentários percebe que vocês São mais moçambicanos.que nos de pele negra que nos achamos ser os verdadeiros moçambicanos por termos apele negra…

    Responder
  11. 10

    Marília Manuela Ventura Nunes Marques

    Yolanda, gostei da forma como me fez reviver a natureza africana, com que me impregnei. É tudo isso, é mesmo assim! E são esses odores que se “colam” à nossa pele e nos moldam a vida, para melhor!
    Por outro lado, respeitando todos os comentários acima, não há dúvida nenhuma que ficámos muito mais ricos, contribuímos todos, com toda a certeza, com alguma coisa de nós, nem que seja para afirmar que Moçambique … é um belo País!

    Responder
    1. 10.1

      Nelson Mendes

      Muito bem dito..

      Responder
  12. 9

    Nelson Mendes

    Se uma simples e maravilhosa, reportagem acerca de um natural de Moçambique causa tantas reações positivas/negativas; nem quero imaginar o resultado da descoberta petróleo, ouro, diamantes etc, faria ao país e seus(meus) habitantes

    Responder
  13. 8

    Bárbara Dias

    Parabéns pela sua carreira e por reavivar as minhas memórias dessa terra longínqua e tão presente.bem ha-jababalina61@hotmail.com

    Responder
  14. 7

    Maria Teresa Ribeiro da >Costa

    Amei´………………..É isso mesmo

    Responder
  15. 6

    Ana Silva

    Ana- se gostaram tanto de Moçambique, porque não voltam e ajudam a reconstruir um País, que tanto precisa? Não se compreende como em tantos anos, não o fizeram…

    Responder
    1. 6.1

      Amália de Almeida

      Cá temos mais uma “entendida” que não deve ter uma noção do que está a dizer. E se voltasse atrás uns 40 anos e lê-se “com óculos de ler” tudo que se passou naquela época? Seria frutífero para si e evitava escrever sobre um assunto de que afinal NÃO percebe nada. KANIMAMBO!!

      Responder
    2. 6.2

      manuela lyra

      Com todo o meu respeito D.Ana Silva, só devia comentar o que realmente tem conhecimento de verdade! Faz uma figura muito triste, assim!

      Responder
    3. 6.3

      Eduardo

      Desculpe mas não deve saber do que fala. Se fossem para lá hoje em dia para participar na reconstrução do país como refere eram novamente postos de lá para fora. Hoje o que se passa nesses locais não é a reconstrução de um país é o fim desse pais com fome,guerra e corrupção á mistura. Naturalmente não sabe o que é a ideologia comunista. Finalizando eles querem só o país para eles , veja o caso de Angola quanta fortuna tem o Jose Eduardo dos Santos ??? e o povo passa fome , não há escolas , não há infraestruturas para fazer crescer aquele país , não lhes interessa . Querem é ganhar dinheiro para fortuna pessoal . A independencia foi dada de forma ditaturial a um só partido seja em Angola ou Moçambique .Bem estou p aqui a falar para alguem que com esse comentario só denota analfabetismo sobre todos os aspetos .Não nasci lá , não vivi lá apenas cumpri a minha obrigação militar naquele país mas sei bem ver o que se tem passado ao longo dos anos .Sugiro vivamente e antes de fazer este tipo de comentarios que só a deixam mal vista que se informe , leia acerca da historia daqueles países desde a independencia e se tiver paciencia veja antes o que se passava

      Responder
      1. 6.4.1

        Maria Resende

        Boa resposta Ana. Vão para lá fazerem o que em tantos anos não fizeram
        Roubsvam a nós aqui para dar a vocês. Dasss

        Responder
  16. 5

    m.j.s.n

    Tenho a idade desta Sra, e também nasci na Beira, o meu pai era maquinista de locomotivas e andava sempre transferido, saí da Beira muito novinha.

    Responder
  17. 4

    Irene queiroz

    Moçambique é o meu país, nós somos pessoas diferentes, temos uma postura diferente, um encantamento especial, a maneira de comunicarmos e diferente tudo isto é muito mais Moçambique nos deu,nos ensinou.Adoro, tenho tantas saudades

    Responder
    1. 4.1

      helder sufiano

      verdade IRENA QUEIROZ !……….FALASTE A VERDADE!!!!

      Responder
  18. 3

    Artur

    Parabens grande Mulher adorei

    Responder
  19. 2

    Anibal Silva (Lito)

    Nasci na ilha de Moçambique e vivo em Portugal, mas “nunca saí” da Ilha. Lito.

    Responder
    1. 2.1

      FERNANDO DE CARVALHO

      Lito, deves lembrar-te de mim. Sou o Ramos ( de cabelo comprido ) que trabalhava no Lumbo, CFM com o Afonso, de 59 a 62. Bom saber que ainda existes. Saudades do MUIPITI.

      Responder
  20. 1

    José Rodrigues

    Isto era o verdadeiro Moçambique; só quem lá viveu, como éramos felizes com tão pouco…

    José Miguel Rodrigues

    Responder
    1. 1.1

      Fernando

      Com pouco? Não diga disparates. Milhões de pessoas nascidas em Moçambique não tinham nada, para milhares de brancos terem tudo.

      Responder
      1. 1.1.1

        Amália de Almeida

        AMIGO FERNANDO. NÃO FALE DO QUE NÃO SABE E QUANDO FALAR LEIA MAS LEIA BEM TUDO QUANTO SE ESCREVE SOBRE MOÇAMBIQUE E VÁ LÁ SE AINDA NÃO FOI MAS PONHA OS ÓCULOS. KANIMAMBO!!

        Responder
      2. 1.1.2

        jorge

        Falou a ignorância…Coitado

        Responder
      3. 1.1.3

        José Rodrigues

        Já vi que você , Fernando , fala do que não deve e diz o que não sabe…
        Não bebeu água do Umbeluzi…

        Responder
      4. 1.1.4

        Dina Faria

        Concordo plenamente consigo! E apesar de tantos anos passados, ainda me revolta a forma como se esquecem do sofrimento que essa vida feliz e que “não custou nada”, causou ao VERDADEIRO Povo Moçambicano! Que tristeza de espírito e que montanha de egoismo!…

        Responder
        1. 1.1.4.1

          Antonio Diniz

          “VERDADEIRO Povo Moçambicano”…. esta triste Dina, pensa que só são verdadeiros os negros e mestiços… todos os outros que lá nasceram são Chineses e Russos. Enfim…..

          Responder
        2. 1.1.4.2

          José Rodrigues

          Outro Fernando em versão feminina…fala do que não sabe, diz o que não deve…já agora conhece algo de Moçambique, poe acaso viveu lá?o que é que vem fazer aqui para este site?

          Responder
        3. 1.1.4.3
          1. 1.1.4.3.1

            José Rodrigues

            Outra sem nível , que por cá aparece…

            Sem chá…

      5. 1.1.5

        Maria Colimão

        Quer então dizer sr. Fernando que agora que os brancos vieram embora é que ficaram bem….não fale do que não sabe para não fazer figura ridícula!!!! Tristeza.

        Responder
      6. 1.1.6

        Eduardo

        Não fale do que não sabe , nota se mesmo que é anti Nacionalista . E diga me eles agora o que tem ??? guerra ,fome ,corrupção e muito mais . Precisam de voluntarios para lhes tartar da saude e educação enqueanto o governo de lá mete ao bolso fortunas …. e o pirata era eu

        Responder
        1. 1.1.6.1

          DONALD

          Pois venham todos que serão benvindos sempre que desejarem. A terra continua a mesma . Muito caju , muita manga da boa, muito caranguejo e camarão e sobretudo muitos corações pra vos receber como é nossa característica . Á maneira moçambicana . Um abraço e beijos a todos especialmente à MARIA do Carmo Lobo. Bem hajam todos!!!!

          Responder
          1. 1.1.6.1.1

            SP

            Faço minhas as suas palavras caro Donald. Que nos visitem, se puderem. O retrato da Yolanda é real, fiel e verdadeiro. O bem estar é material e a felicidade um estado de alma. Bem hajam os de boa fé!

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2018 - Todos os direitos reservados.