5 Comentários

  1. 4

    Zé Carlos

    Estive lá com um tio que nesse tempo era fogueiro nos CFM.
    Ele deixou o seu DKW no parque de estacionamento dos empregados dos CFM e seguimos de comboio da estação de cami hi de ferro de LM que fazia ligação através dum ramal dedicado ao estádio. Lembro me bem que ao apear do comboio, só se via um mar de gente por todo lado, a maior multidão que tihna visto.
    Quando entramos no estádio ainda não estava cheio, mas passados uns tempos, ficou lotado. Os nossos lugares eram em abaixo da tribuna mas perto da pista de ciclismo que também ficou repleta de gente.
    Durante o evento, o tio comprou algumas vezes aos rapazes que meandravam pelas bancadas a vender comidas e bebidas, sandes de ovo e chouriço que vinham embrulhadas em papel vegetal e laranjada que vinha numas bolas de plastico com o feitio de uma laranja.
    N.B. Uma pequena correção a ver com uma foto. O anel abaixo das bancadas cheio de gente não é a pista de atletismo, é a pista de ciclismo.

    Responder
  2. 3

    José Viegas

    Estive no Estádio no dia da Independencia de Mocambique como intérprete da Comitiva da Miriam Makeba.

    Responder
  3. 2

    Antonio Rocha

    Eu tive o privilegio de poder estar presente nesse evento em circunstancias especiais, encontrava me internado na altura no hospital militar com uma fractura no tarso e acabado de ser operado para extracção de um o osso do ilíaco para transplante e não me poder sentar, ter sido levado de ambulância da Cruz Vermelha e transportado de maca para a pista de ciclismo onde permaneci deitado, para poder assistir a inauguração do Estádio Salazar e ver o jogo Portugal x Brasil. No dia seguinte a minha foto deitado na maca saiu na primeira pagina do jornal noticias.

    Responder
    1. 2.1

      BigSlam

      Caro António Rocha, um momento inesquecível na sua vida…
      Grato pelo seu testemunho.

      Responder
  4. 1

    Fernando M Vasconcelos

    Não conheci o estádio Salazar aquando da sua inauguração, mas sim uns anos mais tarde, por volta de 73 ou 74, quando nele disputei um jogo em representação da equipa de júniores A do GDLM.
    Em 68 residía em Nacala, a alguns milhares de quilómetros a norte de LM.

    Responder

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2020 - Todos os direitos reservados.