7 Comentários

  1. 7

    Manuel Martins Terra

    Dave Adkiins, durante a sua passagem por Moçambique, deixou obra feita ,quet na Académica, Sporting e Desportivo. Profundo conhecedor dos segredos da modalidade, em todos os seus atletas deixou um profundo sentido de gratidão. Depois de partir para os EUA,jamais se esqueceu daquela terra maravilhosa, que próprio fax questão de exultar.O anel de campeão da NBA, foi a justa consagração para um senhor que tudo tem dado ao basquetebol. Parabéns.

    Responder
  2. 6

    Mário Albuquerque

    Dave, como sei que gostas que eu escreva em português, ai vai,
    é com grande orgulho que vi a notícia dos Toronto Raptors e do seu treinador sobre ti.
    Se tivessem jogado contra nós ficavam traumatizados e já não tinham ganho…eh…eh… eh…
    Marcaste-me como jogador com muitas coisas que me ensinaste, mas sobretudo por seres meu amigo e pelos bons tempos que passámos.
    Na final contra o Benfica SLB antes da final que precisávamos de ganhar por 13, e acabámos por vencer por 25, ainda estou a ver a tua cara de espanto a perguntar ao Bebé Carreira, que nos acompanhou na digressão, porque raio é que eu estava/mos a confraternizar com o Paulo Carvalho se íamos jogar contra ele à noite ao que o Bebé lhe respondeu: ó Dave eles são amigos desde sempre, não tem nada uma coisa com outra.Obrigado Mário Albuquerque

    Responder
  3. 5

    Dave Adkins

    Obrigado pelos comentários. Nelson, foi um bom ano com SCLM e o campeonato nacional de 73. Os 3
    clubes que treinei – Academica, SCLM e Desportivo – me mostraram seu propio caráter, personalidades e positivos.

    Tomané lembra-se um drama no banco de SC vs. Teotonio e Benfica de Lisboa no partido decisivo do torneio. Tomané, tudo resultou muito bem! Tomané. desfruto do comentário detahlado. . Verdade que foi treinador-jogador com Academica,
    mas treinador. .

    Os anos de LM, Moçambique e Africa me parecem un sonho, mas Big Slam confirma todas as fantasias. . abracões. .

    Responder
  4. 4

    José M. Mota

    Só um detalhe, Tomané! Na Académica, o Dave foi inscrito como treinador-jogador. Apesar de já veterano, possuía boa técnica e qualidade para integrar a equipa, mas participou em poucos jogos porque percebeu ser mais importante assumir só a função de “coach”.

    Responder
  5. 3

    António Manuel R. Alves (Tomané)

    Este reconhecimento de carreira feito pela NBA ao Mr. DAVE ADKINS, é mais que justo. Muitos Parabéns Mr. DAVE! Mas penso que também poderá ser altura de dizer algo mais … para que conste.

    O Mr. DAVE foi o meu 1º Treinador após me ter efectivado no plantel Sénior do enorme SCLM na época 1973-74. Pelas minhas memórias, considero-o o TOP dos treinadores ‘importados’ numa experiência notável que, salvo erro, se iniciou com o Steven Delapp (jogador que também foi m/treinador de Juniores numa época). Realmente, no contexto de então, foi o tempo do boom do Basket Moçambicano, em que tudo começou com a chegada de jogadores de grande classe, como o grande Nakios (Grego que residia na África do Sul), mais tarde o “postão” Vassilious Goumas (outro Grego com passagem fogaz), e depois mais um ou outro Grego e vários Norte-Americanos por diversos Clubes. O DAVE, quando chegou a LM, veio estritamente para o treinamento (penso que teria sido mesmo o único que se centrou nessa vertente).

    Pessoalmente, além da felicidade de ter passado a integrar a Equipa dos meus ídolos (e amigos de sempre), acresceu o impacto, igualmente feliz, de poder logo trabalhar com 1 Treinador rigoroso e persistente que, com as suas novidades e mais-valias, não só insistia no aprimorar dos fundamentos individuais, como também se batia pela disciplina técnico-táctica, conjugando tudo isso com o melhor dos respeitos pelas características e criatividade de cada atleta, mas sempre salvaguardando os objectivos do grupo.

    Era o quadro perfeito da ambição e do espírito de equipa (e de amizade, por que não dizê-lo firma e convictamente) que reinava entre todos … à LEÃO! E o corolário dessa histórica e memorável tripleta da Época, foi a tremenda vitória no Campeonato Nacional de Luanda. Inesquecíveis foram os 102-77 ao SLB, no dia dos meus 20 anos, em que o Mr. DAVE mandou-me preparar para entrar em jogo (3 faltas ‘rápidas’ do Nelson ainda na 1ª parte), disse-mo duas vezes, mas “leu-me” que “eu não estava nem aí” – eu estava crente de que o Nelson se ‘aguentaria’ e ao mesmo tempo via que a ‘máquina’ estava imparável … que era só deixar correr o tempo; foi o que aconteceu, sem nunca trocarmos palavras! Mesmo assim, very sorry Mr. DAVE por aquela minha timidez/inibição que, contudo, não deixou de resultar em uma (boa) traição :).

    KANIMAMBÃO por tudo o que (nos) deu. Um Grande Abraço de Parabéns e a melhor Saúde para si e Família.

    Responder
  6. 2

    Nelson Serra

    Muitos parabéns foi com imenso orgulho que soube deste merecido prémio de um treinador muito importante no basket moçambicano e que tive a sorte de o ter como treinador

    Abração

    Nelson Serra

    Responder
  7. 1

    Manuel da Silva

    Não me lembro dele (porque andava em manobras militares), não o conheci, mas só pelo que eu li, merece todo o meu respeito e gratidão pelo que fez em prol do desporto moçambicano. PARABÉNS para tão ilustre desportista!

    Responder

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2020 - Todos os direitos reservados.