4 Comentários

  1. 2

    Rui Baptista

    A minha declarada iliteracia informática a fazer das suas por eu ter publicado em duplicado o meu comentário anterior. Os meus comentários anteriores em duplicado foram escritos por escrito por ter uma breve (ou mesmo errada) ideia de que João de Sousa tinha publicado há anos um post referindo-se a seu Pai, de quem fui amigo. Fui verificar e confirmei que tinha razão. Assim, em 23.03.2018, assim aconteceu, comprovando-me que João de Sousa tinha um coração enorme em que guardava e registava a lembrança de pessoas que mereciam a sua amizade registada pela sua pena prodigiosa de quem “manipulava” o abecedário da Língua de que Camões se fez o obreiro da nossa genial epopeia “por mares nunca dantes navegados”. Outro abraço.

    Responder
  2. 1

    ABM

    Olá Professor

    Não percebi.

    Porque é que a República portuguesa haveria de prestar homenagem fúnebre pública ao João de Sousa?

    Abraço.

    Responder
    1. 1.1

      Rui Baptista

      Ao que julgo saber João de Sousa foi um indivíduo equilibrado no seu relacionamento com os cidadãos portugueses que permaneceram em Moçambique depois da sua Independência. Mas meu estimado Botelho de Melo admito ser este um assunto controverso. Já a certeza em contrário, encontro-a na forma como um dos advogados, se me recordo de apelido Raposo Pereira, parido em Portugal continental, tratou os portugueses no conturbado período de transição para a entrega da bandeira verde-rubra ao governo de Moçambique. Conto-lhe um caso por mim vivido em que para trazer uma aparelhagem de som “dernier cri” estava decidido a fazer uma exposição nesse sentido a Vitor Crespo (Copos) , tendo sido aconselhado a endereçá-la, por um coronel do exército português meu amigo, a Chissano porque Vitor Crespo indeferia todas essas petições. Assim o fiz e o meu pedido foi deferido. Sabe tão bem como eu que este é um assunto polémico que me levou a dirigir-me à nossa Embaixada em Moçambique, para estar representada nestas exéquias em representação dos portugueses que aí labutam. Estarei equivocado por ter agido mais com o coração e menos com a razão? Este um assunto em aberto para ser discutido sem tabus. Um abraço.

      Responder
      1. 1.1.1

        Rui Baptista

        Seria possível informarem-me se a Embaixada de Portugal e o Governo moçambicano se fizerem representar nas cerimónias fúnebres de João de Sousa? Antecipadamente grato, Rui Baptista

        Responder

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2020 - Todos os direitos reservados.