22 Comentários

  1. 21

    Milu Gouveia

    Que homenagem linda.

    Responder
  2. 20

    Mário Costa

    Conheci o Américo e ainda hoje tenho o Cândido como amigo. O pai deles casou com a minha mãe, ambos morreram tranquilos.

    Responder
  3. 19

    Filipe de Zuzarte Viegas @hotmail.com

    Olá Helena Simões tambem morei no mm predio 2 esq ate aos 16 anos (1977) altura em que vim para Lisboa.

    Responder
  4. 18

    Manuel Martins Terra

    Um testemunho profundo e nostálgico de uma sólida amizade entre dois irmãos,com idades muito próximas que de certa forma refletia o espírito de família, tão comum essenciamente na criação dos filhos, onde nos foram transmitidos valores que vão iluminando o nosso trajeto de vida. Por isso se compreende as palavras sentidas, expressas pelo Cândido, pelo carinho e protecção ao seu saudoso irmão. Acompanhei o percurso do Américo, quer como guarda redes da Académica e e depois no 1* de Maio, mostrando ser um guardião de grandes recursos, ágil e com grande sentido de posicionamento entre os postes, que o tornava num grande pilar das equipas que representou. Não me restam dúvidas, que estava formatado para voos mais altos na sua carreira. Obrigado, Cândido, por esta partilha.

    Responder
  5. 17

    Ernesto Fena

    Parabéns amigo Cândido, texto que li com muita emoção, obrigado amigo pela lição de amor familiar, um grande abraço.

    Responder
  6. 16

    José Suspiro

    Gostei e tive o privilégio de conhecer os irmãos e as irmãs Azevedo.

    Responder
  7. 15

    José Carlos R.Nunes

    Belo texto mas, sobretudo, a evidência/demonstração de uma AMIZADE que sendo VERDADEIRA irá perdurar para sempre. Um abraço ao Cândido.Bem me lembro dele.

    Responder
  8. 14

    Cândido Ramiro Filomeno do Carmo Azevedo

    Obrigado Amigo. O nosso conjunto trabalho em Macau, é algo inesquecível. Abraço.

    Responder
  9. 13

    Pedro Lidington

    Grande reportagem Candido^. O Américo jamais será esquecido. Forte abraço

    Responder
  10. 12

    Augusto Silva

    Excelente relato de vivencias em locais que nos foram muito QUERIDOS ….
    Demonstracao de muito AMOR e saudades de tempos saudaveis e comuns a grande maioria dos jovens daquelas epocas.
    Obrigado pela partinha.

    Responder
  11. 11

    Pedro Lidington

    Dois grandes amigos e o Américo estará sempre nos nossos pensamentos.Grande abraço Cândido

    Responder
  12. 10

    Sidónio Serpa

    Que lindo texto, caro Cândido, onde fiquei fiquei a conhecer elementos da tua história que as nossas conversas entre Macau e Portugal, não tinham tido oportunidade de revelar.

    Responder
  13. 9

    Helena Maria Simões Ferreira

    Pratiquei Natação na Associação dos Velhos Colonos, pelo que conheci todos os irmãos Azevedo, incluindo o Américo que embora ginasta por vezes também aparecia na piscina. Vivemos no mesmo prédio na Av. Pinheiro Chagas, por cima da Sapataria Polana. Depois de ler este emocionante texto, lamento o falecimento do Américo. Um abraço a toda a família.

    Responder
    1. 9.1

      Cândido Ramiro Filomeno do Carmo Azevedo

      Olá Helena. Quanta saudade menina. Por onde andas? Já regressei de vez de Macau apóa 32 anos. Temos que nos encontrar um dia. Bjinho.

      Responder
  14. 8

    Manuel Batista

    Que delícia !
    Parabéns.
    Abraço .

    Responder
  15. 7

    Luís Serrano

    Bonito texto que simboliza um forte amor de irmãos, parabéns! Dois bons amigos. Um abraço.

    Responder
  16. 6

    Eduardo Horta

    Os meus Parabéns Cândido e o meu agradecimento, por este magnífico Texto que em boa hora nos apresentas. Como sabes, pois já te fiz saber, a grande admiração que tenho pelos teus escritos e não só, a tua investigação constante, muito em especial sobre tudo relacionado com a Portugalidade e muito mais. Amigo de toda a família, que comecei a acompanhar desde os meus velhos tempos da piscina dos Velhos Colonos, começando nas tuas irmãs mais velhas, a Pilar e a Nilza, mais para a minha idade, e posteriormente todos os outros, e neste caso especifico sobre o saudoso Américo, colega de desporto e principalmente o amigo que sempre acompanhei, inclusive na sua despedida, fica uma recordação eterna. É um privilégio ter amigos como tu. Fraterno abraço.

    Responder
  17. 5

    Tomané Alves

    Um texto bem sentido, que traz tudo de “dentro”. Uma incontornável beleza!

    Responder
  18. 4

    Manuel Martins

    Com sentimento. As saudades não perdoam. Abraço amigo.

    Responder
  19. 3
  20. 2

    Dulce Gouveia

    Lindo retrato vivo e emocionante de duas almas companheiras……

    Responder

Deixe o seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

© BigSlam 2021 - Todos os direitos reservados.

error: O conteúdo está protegido.